Home Colunas Palavra do Doutor

VC no Portal

Educação

PALAVRA DO DOUTOR: NATAL, TEMPO DE REFLEXÃO PDF Imprimir E-mail
Escrito por Marcelo Mari de Castro   
Ter, 20 de Dezembro de 2011 00:00

Médico PSF, cirurgião, legista IML e Professor de Medicina LegalMédico PSF, cirurgião, legista IML e Professor de Medicina Legal

Este artigo fala de admiração, de amor, de prazer... sensações que, infelizmente pra muitos, estão além das percepções. Irei contar como cheguei a esta conclusão. Nos últimos meses, tive a sorte de ler alguns livros de bom gosto. Começou com um presente de uma querida família de Confins, e depois de outro paciente, e outro! Foi uma seqüência de uma prazerosa leitura. Pura, produtiva, daquelas que nos fazem pensar em realmente mudar o ponto de vista. Começou com "A Cabana", depois "Ágape" e por último "De Volta à Cabana". Foram tantas surpresas que, em apenas um mês consegui, literalmente, devorar estes três títulos. Percebi que o tema tinha um único foco e falavam claramente em uma única língua, a do amor. Um amor puro, verdadeiro, sem cobranças e/ou qualquer "contaminação" que se possa imaginar.

A forma com que Deus foi abordada pelos autores é de invejar qualquer ser humano. Pensava a todo o momento: de onde poderia sair tanta inspiração e intimidade com Aquele que, às vezes, achamos estar tão distante? Foi um ensinamento muito além de religioso. Ao término, percebi que não poderia ter lido algo mais apropriado... Estamos perto do natal. Não falo de um natal de presentes, amigo oculto, ceias... Falo do nascimento do filho da Rainha. Aquele que vem todos os anos, sobre a forma de Fé, para tentar novamente nos salvar. Como podemos achar que Ele está distante, se todos os anos renasce para nos acompanhar? Depois daquele passeio literário passei a me sentir um pouco mais próximo de Deus. Passei a pensar de uma forma diferente sobre Ele e, principalmente, sobre a Santíssima Trindade. Irei explicar melhor transcrevendo um pequeno trecho de um dos livros: "Ao contrário do deus indiferente da nossa imaginação, o Pai, o Filho e o Espirito vêm realmente ao nosso encontro na dor, na tragédia e, sobretudo, na escuridão e no pecado. Isso não significa – como veremos – que a Santíssima Trindade esteja ausente no resto de nossas vidas, mas de fato, no trauma criado pelo choque entre a vida e o falso deus, nós começamos a ver com novos olhos." É esta a mais pura verdade! O Criador não pode ser punitivo. Ele não pode ser aquele que pune e abandona... Não pode estar presente apenas na alegria... E mais, não pode estar nunca sozinho. Somos felizes por termos uma Santíssima Trindade ao nosso lado. A forma carinhosa e contagiante daqueles autores nos faz pensar em um Deus mais próximo, mais amigo, mais protetor... Tão amigo que mais uma vez faz seu filho nascer para nos acompanhar!

Aproveitemos este nascimento e a formação, mais uma vez, da santíssima Trindade, ao nosso lado!

Marcelo Mari de Castro - Médico PSF, Médico Cirurgião, Médico Legista IML/MG, Professor Universitário na cadeira de Medicina Legal.

Última atualização Ter, 20 de Dezembro de 2011 05:53
 
«InícioAnterior12345678910PróximoFim»

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL
Banner
Se você não quer sua foto publicada no Portal de Confins, entre em contato citando o evento e o número da foto para retirarmos.
 

Leia o Jornal