Home Notícias Cultura

VC no Portal

Educação

EXPOSIÇÃO EM BELO HORIZONTE RETRATA VIDA NO IMPÉRIO ROMANO PDF Imprimir E-mail
Escrito por Mariana Peixoto - EM Cultura   
Seg, 19 de Setembro de 2011 12:26

Roma - A vida dos imperadores será aberta quarta-feira

O curador Guido Clemente, da Universidade de Florença, com máscara teatral de pedra. Foto: Beto Magalhães/EM/D.A Press O curador Guido Clemente, da Universidade de Florença, com máscara teatral de pedra. Foto: Beto Magalhães/EM/D.A Press

O retrato do maior império, com seus mandatários e aqueles que os cercam, mas também com um forte registro do homem comum. Esse é o Império Romano, que vem à tona esta semana na exposição Roma – A vida e os imperadores, que será aberta quarta-feira, na Casa Fiat de Cultura. Setecentos anos de um domínio que absorveu territórios do Ocidente e do Oriente são contados por meio de 370 obras, inéditas no Brasil, na mais abrangente mostra sobre a Roma Antiga realizada no país.

Tanto vulto consumiu os últimos cinco anos. "Não poderia trazer 100 peças maravilhosas, pois seria muito convencional. Precisava contextualizar, apresentar Roma em toda a sua complexidade", afirma o curador Guido Clemente, professor de História Romana na Universidade de Florença. Para tal, ele reuniu obras de seis instituições: museus Arqueológico de Florença, Nacional Romano, Nacional de Nápoles, Arqueológico de Fiesole, Antiquário de Pompeia e Galleria degli Uffizi.

"Os romanos são muito próximos de nós, como no pensamento que existe sobre as cidades, sobre a multiculturalidade, o direito, língua e literatura. Esses pensamentos fazem parte da nossa maneira de olhar o mundo hoje. Por outro lado, também são distantes de nós no aspecto do luxo e poder extravagantes. Eles não acreditavam na democracia, viviam numa sociedade escravagista", acrescenta Clemente.

Cabeça colossal de Júlio César, em mármore, integra o primeiro módulo da exposição. Foto: Museu Nacional de Napoles/DivulgaçãoCabeça colossal de Júlio César, em mármore, integra o primeiro módulo da exposição. Foto: Museu Nacional de Napoles/DivulgaçãoPara levar a cabo tal dualidade, a exposição foi dividida em quatro grandes módulos: "Entre César e Augusto: o nascimento do Império" (com grandes monumentos e estátuas que traduzem o legado de Júlio César); "Nero" (a opulência do período é representada por meio de joias e outros objetos de valor); "O apogeu do Império" (no auge do poder, serão vistas peças que remontam aos jogos dos gladiadores, além de objetos cotidianos que lembram a vida nas cidades romanas); e "Um Império multicultural" (que explicita religiões e costumes dos diferentes povos que na Europa, Ásia e África compuserem o Império).

"Essa exposição não é 'aparecida', pois tem uma montagem discreta. Como a maior parte das obras é em mármore, fizemos uma cenografia em grafite, que faz com que as obras 'pulem', ressaltando seu próprio valor", afirma Daniela Thomas, que assina a cenografia com Felipe Tassara. "Trabalhamos com a noção de que o público é um personagem, que segue um percurso narrativo. Fizemos 'rasgos' nas paredes, como se fossem fechaduras, para que a pessoa, quando está numa sala, perceba a extensão da exposição. Ou seja, você vê próximas a figura de um imperador e de uma pessoa do povo. Isso tem a ver com a curadoria do Guido, que apresenta uma Roma completa, e não só o Império", completa ela.

As obras vieram da Itália em quatro voos, três comerciais e um fretado. O transporte foi complexo, já que muitas das peças pouco saíram de seus museus originais. Além disso, as dimensões variam: há desde pequenas moedas e utensílios domésticos, até bustos, estátuas e sarcófagos (a peça mais pesada tem 1,4 tonelada) de imperadores e pessoas do povo. "Todo o mundo pensa que os romanos só imitaram os gregos, mas não é assim. Eles, por exemplo, inventaram os retratos realistas. Trouxemos 10 deles de homens e mulheres comuns, o que comprova que eles não eram somente arrogantes e imperialistas, mas também pessoas como nós", diz Guido Clemente.

Sobre os grandes personagens históricos, há imagens de todos os imperadores, "aqueles que ainda estão na fantasia das pessoas", continua o curador. "Temos ainda peças que foram recuperadas recentemente do mercado negro. Entre elas está uma imagem de Nero, o que é muito raro encontrar. Como ele se suicidou, depois de sua morte suas estátuas foram decapitadas", explica. Outro destaque são três paredes de uma casa de Pompeia. "Com estas paredes, mostramos um quarto de uma típica casa romana." A parte final da exposição chama a atenção para o politeísmo romano. "Destacamos todos os deuses e deusas do pátio romano para mostrar que eles respeitavam as religiões de outros povos. Também não eram racistas, não se pensavam como etnia. Eram muitos povos que estavam dentro de um mesmo domínio", conclui.

De Chirico e Caravaggio

A mostra Roma... poderia ter sido inaugurada há seis meses, já que todos os aspectos de sua produção foram fechados no primeiro semestre. Mas a abertura foi adiada para este mês para que fosse destacada no Momento Itália-Brasil, período que até o primeiro semestre de 2012 vai trazer série de eventos que relacionam os dois países. Em janeiro, a exposição segue para São Paulo, onde fica até abril no Masp. Para 2012, a Casa Fiat vai apresentar retrospectiva de dois mestres italianos: De Chirico, nome que faz parte da chamada pintura metafísica, precursora do surrealismo; e Caravaggio, um dos maiores representantes do barroco da Itália.

Nós, romanos

Num concerto em Ouro Preto, um colega francês me perguntava se o que o coro cantava era português ou latim: Ó deus meu, dizia o refrão, verso a que faltava não mais que um "s" para ser latino. Nada para espantar. Já Camões escrevera que Vênus, ouvindo nossa língua, cria que "com pouca corrupção era a latina".

Exageros à parte, digamos que o mais importante que os romanos nos ensinaram foi abrir passagens. Senhores de meio mundo, rendiam-se a tudo que encontravam de admirável. A ponto de Horácio crer que "a Grécia capturada venceu seu feroz conquistador". Mais um exagero de poeta: os gregos não o venceram, mas, como todos, também se tornaram romanos.

É que tudo que Roma tocou terminou romano: as artes, os costumes, a política, as virtudes e os vícios. Que Quintiliano pensasse Homero ser superior a Virgílio, os historiadores e oradores gregos melhores que seus conterrâneos – com exceção de Cícero –, não deve ser lido como autodepreciação, mas sim como uma espécie de "antropofagia" avant la lettre (no sentido oswaldiano). Assimilando o mundo, os romanos forjaram o que se chama de Ocidente, produto híbrido da (nossa) romanidade.

Como nele nos incluímos? Homero abrira a Odisseia dizendo: "O varão dize-me, Musa, que muito viajou..." Virgílio seguiu-lhe os passos e elevou o povo romano, na Eneida, começando com: "As armas e o varão canto..." Camões, nos Lusíadas, decidiu enaltecer "As armas e os barões assinalados...". Deste outro lado do oceano, Jorge de Lima enfim desabafou: "barão falido, mas barão".

Em resumo, tudo passagens, para o bem e para o mal – o que decerto nos autoriza também a dizermos: "Nós, romanos".

ROMA – A VIDA E OS IMPERADORES

Exposição na Casa Fiat de Cultura, Rua Jornalista Djalma Andrade, 1.250, Nova Lima. Abertura quarta-feira para o público. Visitação de terça a sexta-feira, das 10h às 21h; sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h. Até 18 de dezembro. Entrada franca. A exposição ainda conta com palestras e mostra de filmes. Veja a programação completa no site www.casafiat.com.br. Informações: (31) 3289-8900.

Última atualização Seg, 19 de Setembro de 2011 14:39
 
«InícioAnterior11121314151617181920PróximoFim»

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

Notícias - Cultura

Imagem
POLÍTICA É UMA ARTE. FÓRUM CULTURAL DE CONFINS

Confins é sede do Fórum de Políticas Culturais, encontro que reúne artistas, articuladores e... Leia mais...
Imagem
FÓRUM DE CULTURA APRESENTA CARTILHA FEDERAL PARA CRIAÇÃO DE CONSELHO MUNICIPAL DA CULTURA

A última reunião do  aconteceu na atual sede do projeto Voo Livre, foram discutidas as... Leia mais...
Imagem
VOANDO ALTO. PROJETO VOO LIVRE ESTÁ EM NOVO ENDEREÇO E COM VÁRIAS NOVIDADES

As inscrições estão abertas nos dias 29 e 30 de abril, das 14 às 19 horas na mesma rua da... Leia mais...
Imagem
VOO LIVRE. A PRIMAVERA CHEGOU E TUDO QUE É BOM SE RENOVA!

O Projeto Voo Livre em parceria com a Mineração Lapa Vermelha promoveu um maravilhoso mês com... Leia mais...
Imagem
MUDO E PRETO E BRANCO, O ARTISTA TEM DESPERTADO INTERESSE NO PÚBLICO

Consagrado na premiação do Bafta filme surpreende pela capacidade expressiva Com os prêmios... Leia mais...
Imagem
ROMANCES DE CLARICE LISPECTOR TÊM REEDIÇÃO

Publicação de José Castello traz síntese das obras da escritora   É mais ou menos um... Leia mais...
Imagem
ÁLBUM PÓSTUMO DE AMY WINEHOUSE LIDERA AS VENDAS NA GRÃ-BRETANHA

Lioness: Hidden Treasures foi lançado no início de dezembro O álbum póstumo da cantora... Leia mais...
Imagem
GALPÃO ALÇA VOO RUMO AO DESCONHECIDO COM O NOVO ESPETÁCULO INSPIRADO NO UNIVERSO DE ANTON TCHEKHOV

Para sair de uma zona de conforto é preciso, no mínimo, coragem. Eclipse, nova montagem do Grupo... Leia mais...
Imagem
ZEZÉ DI CAMARGO E LUCIANO COMEMORAM 20 ANOS DE PARCERIA COM SHOW EM B

A dupla garante: depois das desavenças recentes, as relações profissionais e afetivas estão... Leia mais...
Imagem
ALCIONE TRAZ A BH SHOW DO PROJETO DUAS FACES, QUE INCLUI CDS E DVDS

Cantora se apresenta no Chevrolet Hall Carinhosa e popularmente conhecida como Marrom, a maranhense... Leia mais...
Banner
Se você não quer sua foto publicada no Portal de Confins, entre em contato citando o evento e o número da foto para retirarmos.
 

Leia o Jornal