Home Notícias Últimas Notícias PRISÃO DE ENTREVISTADO NA RÁDIO ITATIAIA GERA CONTROVÉRSIA

VC no Portal

Educação

PRISÃO DE ENTREVISTADO NA RÁDIO ITATIAIA GERA CONTROVÉRSIA PDF Imprimir E-mail
Escrito por Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Fonte: www.almg.gov.br   
Qua, 17 de Dezembro de 2014 20:43

Ação foi defendida por policiais civis e questionada por representantes de jornalistas.

Com o Auditório tomado por policiais civis, comissão debateu a prisão de Armando Pereira da Cruz durante a apresentação de programa na Rádio Itatiaia. Foto: Alair Vieira.Com o Auditório tomado por policiais civis, comissão debateu a prisão de Armando Pereira da Cruz durante a apresentação de programa na Rádio Itatiaia. Foto: Alair Vieira.

Em um clima tenso, com o Auditório completamente tomado por policiais civis, deputados, autoridades e representantes de classe repercutiram a prisão de Armando Pereira da Cruz enquanto dava uma entrevista ao vivo nos estúdios da Rádio Itatiaia, na última terça-feira (9/12/14). De um lado, inconformados com a ação policial, representantes de sindicatos de profissionais da imprensa apontaram falta de bom senso e agressão à liberdade de expressão. Já os policiais alegam que um mandado de prisão tem que ser cumprido seja onde for, para a segurança da população. A discussão se deu em audiência promovida pela Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) nesta terça-feira (16).

Armando Cruz foi preso pela Polícia Civil dentro dos estúdios da Itatiaia enquanto dava uma entrevista para o programa Chamada Geral, apresentado por Eduardo Costa. Ele é investigado na operação Lavagem III da Polícia Civil, que investiga esquema de fraude, lavagem de dinheiro, falsificação de documentos e corrupção que atuaria em Santa Luzia, Vespasiano e Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e também na Capital e em Sete Lagoas (Região Central do Estado). Ele também é acusado de coação de testemunhas.

O jornalista Eduardo Costa (à esquerda) fez um breve relato do que aconteceu. Foto: Alair Vieira.O jornalista Eduardo Costa (à esquerda) fez um breve relato do que aconteceu. Foto: Alair Vieira.O jornalista Eduardo Costa apresentou um vídeo com imagens do episódio e fez um breve relato do que aconteceu. Segundo ele, os dois policiais responsáveis pela ação entraram na rádio e procuraram por ele no estúdio, em que apresentava o programa ao vivo. Comunicado de que os policiais queriam prender o acusado naquele momento, Eduardo Costa relatou ter pedido paciência, enquanto entrava em contato com diretores da rádio e o ouvidor de Polícia Paulo Vaz Alkimim.

Apesar de o próprio ouvidor ter solicitado que os policiais aguardassem fora da rádio para efetuar a prisão, eles seguiram adiante com a operação e conduziram Armando Cruz à delegacia. O jornalista alega que não foi apresentado nenhum mandado de prisão e questionou se eles não estariam cumprindo ordens de alguém que queria "pegar" o acusado. Para embasar essa afirmação, ele mostrou documento em que o delegado Jonas Tomazi pede apoio imediato para a prisão de Armando Cruz, inclusive com a informação de que ele estava na rádio.

O deputado Durval Ângelo (PT), que solicitou a reunião, fez questão de esclarecer que a discussão não coloca em xeque o comportamento de toda a corporação policial. Ele inclusive elogiou a polícia de Pedro Leopoldo (RMBH) pela prisão da quadrilha envolvida nos crimes investigados pela operação Lavagem III.

No entanto, o parlamentar questionou a razoabilidade da ação policial, uma vez que o acusado se encontrava em uma emissora de rádio, sem risco de fuga. Ele evocou também a liberdade de imprensa para criticar a prisão do suspeito e ponderou que o episódio passa uma ideia de truculência, ruim para a imagem da polícia.

O deputado João Vítor Xavier (PSDB), também radialista da Itatiaia, defendeu o colega Eduardo Costa e criticou a prisão realizada na emissora. "É inadmissível que um profissional da comunicação tenha seu trabalho impedido", protestou. Ele ainda defendeu o direito constitucional de liberdade de expressão para atacar a ação policial e argumentar que esse mesmo direito permitiu que servidores da segurança pública fizessem suas reivindicações nos microfones da rádio.

O presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais, Kerison Lopes, descreveu a tensão vivida pelos jornalistas da Rádio Itatiaia no momento da prisão. Ele disse que o presidente da emissora, Emanuel Carneiro, destacou que não passou por episódio semelhante nem na ditadura militar.

Policiais defendem cumprimento de ordem judicial

Contrapondo as críticas feitas na reunião, vários representantes da Polícia Civil fizeram questão de elogiar os dois policiais que efetuaram a prisão de Armando Cruz. O mais enfático foi o presidente da Comissão de Prerrogativas do Sindicato dos Delegados de Polícia (Sindepominas), delegado Paulo Felipe Saback. Ele ratificou que já havia sido expedido mandado judicial para a prisão de Armando Cruz e menosprezou a importância do documento, que segundo ele é dispensável em caso de crime inafiançável.

O delegado, fazendo referência aos termos "razoabilidade" e "bom senso" utilizados pelos críticos à atuação da polícia, ressaltou que a doutrina policial estipula celeridade na prisão em situações similares e que isso demonstra que os policiais foram prudentes. "Não houve arbitrariedade e ilegalidade. Além disso, ninguém sabia se o procurado estava armado ou poderia fazer o próprio jornalista de refém", ponderou.

O presidente do Sindpol, Denílson Martins (à esquerda), defendeu a atuação da polícia. Foto: Alair Vieira.O presidente do Sindpol, Denílson Martins (à esquerda), defendeu a atuação da polícia. Foto: Alair Vieira.O presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil (Sindpol-MG), Denílson Martins, assim como o presidente do Sindepominas, Marco Antônio de Paula Assis, também defenderam a atuação da polícia. "Todos se assustaram sim, mas porque a rádio estava ocupada por um bandido procurado pela polícia", resumiu Marco Antônio Assis.

Os deputados Sargento Rodrigues (PDT) e Cabo Júlio (PMDB) também se uniram à defesa dos policiais. Para o deputado Sargento Rodrigues, foi uma "tempestade em copo d'água", até pelo fato de os envolvidos possuírem "ficha irretocável". Ele afirmou que é mesmo inconveniente cumprir um mandado de prisão, mas que não existe nada que impeça que a decisão seja cumprida em uma emissora de rádio.

No mesmo sentido, o deputado Cabo Júlio destacou que a prisão se justificava pelo fato de que o acusado de intimidar testemunhas poderia se utilizar de sua fala na rádio para dar continuidade às suas ameaças. "O resultado pedagógico dessa prisão é que o cidadão com mandado de prisão em seu nome será preso até se estiver no colo do Papa", disse.

Corregedoria investiga o caso

Em resposta a diversos questionamentos dos participantes da reunião, o subcorregedor da Polícia Civil, Antônio Gama Júnior, informou que no mesmo dia da prisão ele foi à rádio e entrevistou funcionários. Com base nessas informações, preparou um relatório preliminar e sugeriu apuração administrativa e penal. Agora, o procedimento está a cargo de outro membro da corregedoria. Assim, o subcorregedor não soube informar o resultado da investigação, que será encaminhado para o Ministério Público.

Última atualização Qui, 18 de Dezembro de 2014 07:38
 

Adicionar comentário

Não é permitido palavrões ou palavras que ofendam grupos sociais específicos. Você pode demonstrar sua indignação e/ou euforia, entretanto utilize termos adequados e bom senso.


Reservamo-nos o direito de retirar palavras ou frases ofensivas ou então substituir pelo termo [INAPROPRIADO].

Opiniões políticas, culturais, sociais e/ou religiosas são de responsabilidade de seus COMENTARISTAS.

Antes da publicação dos comentários respondemos os e-mails de todos os COMENTARISTAS para maiores informações; se o e-mail não existir ou não for respondido com as informações solicitadas, o PORTAL DE CONFINS se resguarda no direito de não publicar o comentário.


Código de segurança
Atualizar




Outras notícias:

Powered By relatedArticle

Notícias - Últimas Notícias

Imagem
EX-CONSELHEIRO TUTELAR É ASSASSINADO EM CONFINS

Ex-conselheiro tutelar é morto em obra próxima ao cemitério municipal de Confins Alex Pires... Leia mais...
Imagem
CONFINS COMPLETA 19 ANOS SEM FESTA MAS COM HISTÓRIA PARA CONTAR

Pela primeira vez o jovem município de Confins não terá uma comemoração na data de sua... Leia mais...
Imagem
SUPLENTE ASSUME LUGAR DO VEREADOR CASSADO

O vereador empossado, irá exercer o mandato nos próximos 2 anos, completando no número legal de... Leia mais...
Imagem
PRISÃO DE ENTREVISTADO NA RÁDIO ITATIAIA GERA CONTROVÉRSIA

Ação foi defendida por policiais civis e questionada por representantes de jornalistas. Em um... Leia mais...
Imagem
CÂMARA MUNICIPAL. NA ÚLTIMA REUNIÃO ORDINÁRIA DE 2014 FOI VOTADA A MESA DIRETORA PARA O PRÓXIMO ANO

Com discursos de indignação sobre os acontecimentos da cidade, vereadores, em chapa única, são... Leia mais...
Imagem
PRESIDENTE DA CÂMARA AFASTADO É PRESO PELA SEGUNDA VEZ

Aladir José Pessoa estava sendo procurado desde terça-feira pela Operação "Lavagem 3", o... Leia mais...
Imagem
POLICIAIS INVADEM ESTÚDIO DA ITATIAIA E PRENDEM ENTREVISTADO DURANTE PROGRAMA 'CHAMADA GERAL'

Dois policiais civis invadiram o estúdio principal da Rádio Itatiaia, no início da tarde desta... Leia mais...
Imagem
URGENTE. POLÍCIA CIVIL SEGUE COM INVESTIGAÇÃO EM CONFINS

Segundo informações, a operação "Lavagem 2" segue coletando informações sobre o esquema de... Leia mais...
Imagem
OPERAÇÃO “LAVAGEM 2”. POLÍCIA CIVIL INVESTIGA POSSÍVEL ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA EM CONFINS

Dando sequência a operação que prendeu o vereador Aladir Pessoa, o Delegado Jonas Tomazi... Leia mais...
Banner
Se você não quer sua foto publicada no Portal de Confins, entre em contato citando o evento e o número da foto para retirarmos.
 

Leia o Jornal